Gravidez: como e por que estimular o bebê dentro da barriga

Você descobre que está grávida e, quase no mesmo instante, vem aquela vontade de conversar com seu o filho. Embora no começo ainda tudo pareça muito abstrato, logo a barriga começa a crescer e pouco a pouco vocês vão criando uma relação de carinho, mesmo com o pequeno ainda dentro do útero. Mas se por algum momento você achar estranho estar falando “com sua barriga”, saiba que os estímulos durante a gestação são muito bem-vindos e que fazem toda a diferença na chegada da criança ao mundo.

“Por volta da 25ª semana, o bebê já é capaz de ouvir. Então é importante que os pais conversem com ele para que se sinta desejado e querido desde o início”, explica Glaucimara Nunes, ginecologista e obstetra, coordenadora da maternidade dos Hospitais Real D’Or e Oeste D’Or da Rede São Luiz, do Rio de Janeiro. Apesar de ser apenas no segundo semestre que o pequeno começa a reconhecer os sons externos, recomenda-se o contato desde a descoberta – ou até antes dela. “Nessa relação afetiva também é fundamental que tenha a participação do pai e de familiares”, orienta a especialista.

Mas se você ainda não consegue conversar com seu pequeno, foque nos bons pensamentos e procure se manter calma sempre que possível, transmitindo um ambiente de paz e de tranquilidade à criança. “Quando a gestante se encontra envolvida a fatores de estresse e irritabilidade, essas sensações são percebidas pelo bebê e podem levar a comprometimentos”, alerta a médica, lembrando que esse quadro pode favorecer o desenvolvimento de diabetes gestacional, causar picos hipertensivos e a outras situações que podem ocasionar um parto prematuro.

Musicoterapia

Além de conversar com o bebê, colocá-lo em contato com outros sons é importante para oferecer estímulos, e uma das melhores formas para isso é através da música. A recomendação da especialista é que os pais coloquem canções calmas e tranquilas para o filho ouvir durante a gestação, como cantigas infantis, músicas instrumentais ou até mesmo sons da natureza. “Estudos confirmam que as crianças que foram expostas à musicoterapia durante a gestação apresentam um desenvolvimento mais saudável, além de serem mais calmas”, lembra a médica.

Massagem

O contato direto na barriga também é uma forma de estimular o pequeno e esse toque é tão intuitivo que costuma acontecer desde o início da gestação. “Essa também é uma alternativa de demonstrar afeto. O carinho, associado a palavras de amor, é percebido pelo bebê”, diz a especialista.

Alguns tipos de exercícios físicos são mais indicados para gestantes e costumam oferecer bons estímulos aos pequenos, como a hidroginástica e a yoga. Vale lembrar, porém, que essas atividades devem ser supervisionadas por profissionais aptos e autorizadas pelo médico que acompanha a gestante.

Bom para a mãe e para o bebê

Todo esse processo de estimular o filho enquanto ainda está dentro do útero não é só importante para ele, que já vai se sentir desejado desde a gestação e vai ser capaz de reconhecer a voz da mãe ao nascer, ficando mais calmo, mas também para a gestante.

“Isso é muito relevante para a mulher, pois a conscientização de que está se tornando mãe, através do estreitamento dos laços afetivos com o bebê, pode contribuir significativamente para que a gestação seja mais tranquila e para evitar que ocorra a depressão pós-parto. É preciso que a mãe se prepare física e emocionalmente para este novo momento”, finaliza a médica.

19/04/2018