Meu filho não quer dormir no berço. O que eu faço?

12/08/2019

A rotina com um bebê em casa é cansativa mesmo. E quando chega a noite, colocá-lo para dormir com você pode ser prático, mas nem sempre é uma boa ideia. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda que o bebê durma no mesmo quarto que os pais até pelo menos os 6 meses, especialmente para facilitar a amamentação, porém nunca na mesma cama. Isso porque, embora existam controvérsias, diversos estudos mostram que a cama compartilhada aumenta o risco de morte súbita do lactente (bebê que mama) e de sufocamento causado por lençóis, travesseiros e até por um adulto que pode rolar por cima do pequeno. OLeia mais …

Quais vacinas tomar durante a gravidez?

8/08/2019

Você sabia que as vacinas tomadas pela grávida protegem tanto a mãe quanto o filho? É isso mesmo, os efeitos são transmitidos via placenta para o feto. Saiba para que serve cada vacina e quais são as doses necessárias: Influenza (gripe): Pode ser tomada a qualquer momento da gestação, mesmo que você tenha sido vacinada anteriormente. A gripe durante a gravidez pode aumentar em até 30% o risco de nascimento prematuro do bebê. Tríplice bacteriana – (dTpa – difteria, tétano e coqueluche): Protege a mãe contra as três doenças e o bebê contra o tétano neonatal, que pode ser contraído após o parto seLeia mais …

Como aliviar a cólica do bebê usando a memória do ambiente do útero?

2/08/2019

Recriar o ambiente do útero, tanto no aspecto físico como no psicológico, ajuda a aliviar a cólica do recém-nascido, um desconforto típico dos primeiros meses de vida. Sabemos que os bebês têm capacidade de aprendizado intraútero e que guardam memórias dessa fase. Por isso, é possível criar um reflexo condicionado na gravidez e lançar nele após o parto.   Para isso siga os seguintes passos:   1 – Durante a gravidez, estabeleça o hábito de escutar determinada música relaxante, enquanto conversa com o seu bebê, de forma que ele associe esse momento a uma vivência de tranquilidade. 2 – Após o parto, quando eleLeia mais …

Dicas de como dar banho nos bebês nos dias frios.

12/07/2019

Durante o inverno nossos cuidados com os pequenos devem redobrar, por isso, hoje trouxemos dicas para amenizar o desconforto e proteger o seu filho.   1 – Dê apenas um banho por dia, de preferência no fim da tarde. Assim seu filho fica mais relaxado antes de dormir. 2 – Não aumente a temperatura da água para compensar o frio, isso pode provocar queimaduras na pele. Para saber o ponto ideal, coloque o cotovelo dentro da água. Se estiver agradável para você, estará para o seu filho. 3 – Não leve brinquedos para o banheiro, isso distrai a criança e deixa oLeia mais …

O que fazer quando o bebê não se mexe?

24/06/2019

Por volta do quinto mês de gestação, a mãe já sente os primeiros movimentos do bebê na barriga e a partir desse momento, é importante ficar atenta para reparar se ele ficar muito tempo quieto. Se você notar que a criança está mais quieta que o normal, é importante recorrer a uma avaliação do seu obstetra para chegar se está tudo bem. O médico deverá fazer exames que avaliem a vitalidade fetal, como exames simples clínicos, por exemplo, para ouvir os batimentos cardíacos até ultrassonografias mais complexas. No início, pode ser que a criança se mexa. Na grande maioria dos casos emLeia mais …

É normal a cicatriz da cesárea ficar dormente?

11/06/2019

Sim, o que ocorre é que o corte realizado na pele também rompe terminações nervosas, por isso a dormência. A sensibilidade na região deve voltar ao que era antes dentro de aproximadamente seis meses. Para cuidar bem da cicatriz, evite fazer movimentos bruscos, carregar peso e levar batidas na área, principalmente nos primeiros 15 dias de recuperação após o parto. Além disso, prefira colocar o bebê no colo quando já estiver sentada. Isso tudo vai ajudar a cicatrização e evitar que o processo se torne ainda mais lento.   Fonte:https://revistacrescer.globo.com

Amamentação pode evitar 823 mil mortes infantis por ano!

27/05/2019

De acordo com o primeiro estudo encomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a amamentação traz muitos benefícios para a saúde das crianças e das mães. Além de prevenir a mortalidade infantil, reduzir as hospitalizações por doenças infecciosas na infância e a má-formação dentária, aumenta a inteligência e reduz a ocorrência de sobrepeso e diabetes. A pesquisa avaliou dados de 153 países, de 1995 a 2014 e concluiu que o leite materno, em nível quase universal, poderia prevenir 823 mil mortes de crianças menores de cinco anos por ano e evitaria, no mesmo período, 20 mil falecimentos por câncer de mama. A notícia é mais umaLeia mais …

Em quanto tempo a barriga volta ao normal após o parto?

14/05/2019

Se você acabou de ter um bebê tenha em mente que seu corpo passou por muitas modificações nos últimos meses: sua barriga cresceu, a coluna se modificou para acomodá-la, você ganhou mais gordura corporal. Não é só porque o bebê deixou sua barriga que as coisas voltarão a ser como eram em alguns dias. O parto resulta na perda imediata de mais ou menos 5 quilos=, ,neles estão incluídos o bebê, a placenta e o líquido amniótico. Como o recomendado durante uma gestação saudável é engordar em média 9 quilos (para uma mulher que tem o IMC normal), é fácilLeia mais …

O que acontece com o seu corpo após a gestação?

1/05/2019

Após o parto: geralmente, a mãe perde até 5 kg com a saída do bebê, da placenta e do líquido amniótico, assim como a eliminação, pela urina e suor, de líquidos retidos durante a gestação. Primeiras 48 horas: a produção de leite materno tem início, deixando os seios cheios e doloridos. Para produzir o alimento, rico em gordura, sais minerais e vitaminas, o corpo queima gordura, o que demanda muita energia. Por isso, muitas mulheres perdem peso nessa fase. 2 semanas depois: a amamentação estimula a liberação de ocitocina, provocando contrações no útero e contribuindo para que ele retorne, mais rapidamente, ao tamanho normal. Ele diminui, em média, um centímetro porLeia mais …

Alergia alimentar em crianças: o que você precisa saber

17/04/2019

Os vilões dessas alergias em bebês são as proteínas novas, com as quais eles não estão acostumados. Entre os inimigos, o maior deles é o leite de vaca, responsável pela maioria das reações alérgicas – a tão conhecida APLV, a alergia à proteína do leite de vaca –, seguido pelo ovo, castanhas e soja. Segundo um estudo publicado em 2018 pelo Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia (Acaai), o leite de vaca é o alérgeno alimentar mais comum em menores de 5 anos. Não se sabe o que torna esses alimentos mais propícios a causar reações do que os outros.  Mas há pistas:Leia mais …